domingo, 28 de março de 2010

quarta-feira, 24 de março de 2010

Mudanças acontecem - vale a pena refletir!

Desconheço a autoria e não tenho confirmação dos dados, mas vale a reflexão!

O nome das cores

Desconheço a autoria, mas recebi por e-mail e achei engraçado. Realmente é assim! Ou você, que é homem (com H) conhecia a cor "lavanda"? hahahaha...


terça-feira, 23 de março de 2010

Cuidado com o jacaré! Ele pode acabar com seu dia!

Tomo aqui a liberdade de publicar um conteúdo que recebi por e-mail, e que traduz muito bem o dia-a-dia de muitas pessoas. Nem preciso dizer que estou nessa situação ultimamente né?


Por: Luiz Carlos Cabrera

Eu ouvi uma frase num Congresso de Tecnologia da Informação em Los Angeles, lá pelo final dos anos 70, a qual nunca mais esqueci. A frase era assim: “Se você tem um jacaré a lhe morder as pernas, a tendência natural é esquecer que seu objetivo principal era drenar o pântano”. A metáfora é muito poderosa. É claro que você, que recebeu a missão de drenar o pântano, ao entrar nele e ser mordido por um jacaré imediatamente esquecerá tudo e se focará em matar o desgraçado do jacaré.

Esse jacaré é o nosso dia-a-dia. Esse jacaré representa o nosso agir sem planejar, sem parar para pensar, o famoso engatar uma coisa na outra. Relembre o seu último dia de trabalho. Dirigindo no trânsito, você fez os planos do dia, organizou a agenda, planejou o tempo a ser distribuído de acordo com suas prioridades. Aproveitando o congestionamento, fez até uma lista usando uma folha do caderno que seu filho esqueceu no carro. Acabou de estacionar e do seu lado um outro gerente diz: “Não se esqueça do relatório que você me prometeu para hoje!!”.

Pronto, o primeiro jacaré te pegou!! Aí é vapt, vupt, paulada no jacaré, e você consegue chegar na sua sala. Mal sentou, toca o telefone! O chefe!! “Você viu os resultados das vendas de ontem? Você tem que ir lá na filial falar com o supervisor!”. Pronto. O segundo jacaré te pegou e esse tem a boca grande! De novo paulada para todo lado e você tenta voltar ao plano original, quando entra na sua sala um subordinado que acaba de receber uma proposta com 25% de aumento no fixo e 50% de aumento no variável. Jacarezão de boca aberta, e esse é dos cascudos. Senta, conversa, argumenta, discute, se emociona e a dor da mordida você já nem sente. Consegue adiar a decisão dele até você falar com o RH.

Você olha para a lista, aquela feita no caderno do seu filho, já são quase duas horas da tarde e você nem almoçou. Come uma barrinha de cereal e abre o e-mail. Pulam dois jacarés filhotes, dessa vez querendo morder a sua mão. Trinta e sete e-mails! Alguns com horário da madrugada. E você pensa que jacaré dorme? Jacaré competente manda e-mail à 1h35 e ainda fala que vai trabalhar mais um pouco. Ao fim do dia, exausto, faminto, sem ter conseguido tomar um café! Você olha a sua lista de prioridades e se sente um lixo! O que é que eu fiz hoje??

Nem o primeiro item!
E como sair dessa? Trabalhando incansavelmente o conceito de prioridade. As suas prioridades são aquelas relacionadas com suas metas, são as tarefas que somam valor, são as que são significativas e claramente percebidas pelos clientes. Não confunda os conceitos de urgente e importante. A urgência é temporal, tem a ver com a cronologia das coisas, e a importância tem a ver com contexto e conteúdo. Trabalhe suas prioridades. Essas sim reúnem o melhor da urgência e da importância, pois foram planejadas por você e de acordo com suas metas e objetivos. Não se deixe iludir pelo fato de, hoje, você conseguir matar três ou quatro jacarés por dia. No final você vai ser mesmo avaliado é pela drenagem do pântano.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Que diagnóstico que nada!


Alguém me diga pra quê serve esta @#@#$#%$ que nunca consegue realizar o diagnóstico dos problemas?

quarta-feira, 17 de março de 2010

Pesquisa sobre utilização de containers Java EE

Em novembro de 2009 o site http://www.zeroturnaround.com realizou uma atualização sobre a pesquisa de popularidade entre os containers  Java EE, feita inicialmente em julho do mesmo ano.





Detalhes da pesquisa podem ser encontrados no post: Survey Results: The Java EE Container Redeploy & Restart Report – measuring Turnaround Time

terça-feira, 16 de março de 2010

Mais A-HA!

Pal, Mags e Morten depois da passagem de som. Eu estava bem ao lado do câmera, e mesmo assim não consegui pegar um autógrafo nessa hora =(


domingo, 14 de março de 2010

A-HA - Move to Memphis (Bauru)

A-HA - Take on Me (Bauru)

A-HA no Fantástico!

Para quem é fã do A-HA, vamos pedir à Globo uma matéria para a banda no próximo Fantástico. Basta se cadastrar e fazer a sugestão:

http://falecomaredeglobo.globo.com/

[]'s

A-HA em Bauru - Um Sonho Realizado!

É estranho. Até agora parece mentira que o A-HA realmente passou por Bauru, e que os integrantes da banda ficaram hospedados em um hotel a 1 km da minha casa.
Para muitas pessoas, este foi um evento banal, e muitas delas podem estranhar tamanha fascinação por uma banda. O próprio segurança contratado para acompanhar os integrantes da banda me disse que não conseguia entender a euforia dos fãs no hotel, a espera por um autógrafo, uma foto.
Isto acontece com qualquer fã, é algo que não se pode explicar, apenas sentir.

Como me tornei um fã

Minha admiração pelo A-HA começou há muito tempo. Creio que desde que me conheço por gente escuto as músicas da banda, afinal de contas, quando eles lançaram o primeiro grande hit, "Take on Me" eu tinha apenas 3 anos de idade, e desde então as músicas da banda sempre estiveram nas paradas, na década de 80.
A primeira vez que eu relacionei aquela "música legal" com o nome da banda, propriamente dita, foi quando eu tinha uns 12 anos. Eu estava passando em frente a uma loja e ouvi "You Are The One". Aquilo mecheu comigo de imediato; eu adorava a música, mas não tinha certeza se era da tal banda A-HA. Entrei correndo na loja, eufórico, e perguntei ao proprietário qual era o CD que estava tocando. Para minha alegria e surpresa era o "Best in Brazil" do A-HA.


Este foi o primeiro CD que eu tive da banda. Ele trazia os principais hits da banda, mas não tinha outros grandes sucessos como "Take on Me" e "Cry Wolf". Eu o ouvia o dia inteiro!
Ninguém da minha idade gostava ou conhecia a banda, e outra coisa chata, até então, é que a banda já não estava mais na ativa. Ela havia se separado em 1993, e para mim, a possibilidade de vê-los na televisão era remota.
Durante muito tempo, o A-HA para mim foi uma foto na capa do CD. Eu não sabia quem tocava o que, quem cantava, e ficava imaginando como seria vê-los cantar, tocar. Tudo isso foi alimentando um sonho de um dia vê-los.
Várias ocasiões ocorreram em que eu ouvia uma música no rádio, que sabia que era deles, e ficava eufórico. Certa vez ouvi "Cry Wolf" no rádio, quando ia a um clube em Uberlândia, no Chevetinho do meu pai. Aquilo foi fantástico; era como se eu tivesse descoberto algo raro: uma outra música deles.
Com o tempo eu fui conseguindo mais CDs. Naquela época dependia dos meus pais para ganhar os CDs, então era demorado para conseguir um. também não era fácil encontrá-los nas lojas.
Certa vez, um amigo me disse que seu vizinho tinha um VHS do A-HA. Fiquei eufórico. Pedi para assistir, e consegui gravar uma cópia do VHS "Headlines and Deadlines - The Hits of A-HA". foi a primeira vez em que eu pude ver a banda tocar, saber quem tocava o quê. Foi incrível!
Passei então a querer ser como o Morten Harket. Ele era (e é) realmente meu ídolo.
Ainda restava uma tristeza: a banda não existia mais. Restava apenas o consolo de encontrar e comprar os álbuns da banda.
Certa vez, em uma loja de Uberlândia, estava acompanhando meu pai, que ia comprar um CD do Raça Negra para a esposa dele, e fuçando nos CDs eis que encontro "Memorial Beach". Era como encontrar um tesouro. Eu nunca soubera deste CD antes, e aquilo para mim era uma raridade. Ganhei o CD.



Também em Uberlândia encontrei um dia, em uma loja do Carrefour, o CD do Morten Harket, e novamente tive um momento de grande alegria. Era de alguma forma uma maneira de saber que os integrantes estavam na ativa.




Muitas outras ocasiões ocorreram, em que o A-HA fez parte da minha vida, e sempre tive várias das músicas da banda como "temas" para momentos importantes.

O retorno da banda

Em 2000, eu estava trabalhando em uma fábrica, em Birigui. Era quase 17:00 hs quando ouvi uma música diferente na voz de Morten. Imaginei na hora que fosse algum álbum que eu ainda não conhecia. Saí da fábrica e fui direto para a rádio, onde descobri que se tratava de um single (Summer Moved On) de um novo álbum que ainda não estava nas lojas.
Pedi para que o rapaz da rádio gravasse uma fita K7 para mim com as versões da música, e ficava ouvindo esta fita o dia inteiro.
Isto foi incrível. A banda estava de volta eeu tinha esperanças de um dia ir a um show.

Logo comprei o álbum Minor Earth Major Sky, e em seguida o DVD Live at Vallhall. Por várias vezes namorei ouvindo este DVD, e às vezes ele era pretexto para que eu convidasse uma garota da qual estivesse afim para ir em casa.



Em 2002 tive minha primeira alegria, e frustração. O A-HA fez uma série de shows no Brasil, inclusive no interior de São Paulo, na cidade de Barretos. Mas na ocasião eu ainda era um universitário "durão", e trabalhava em uma lanchonete, e sem dinheiro para ir em qualquer um dos shows, amarguei esta frustração por muito tempo.
Já nesta época, eu tinha acesso à internet, e conseguia acompanhar a banda pela rede. Eu me esbaldava na quantidade de informações na internet, e vibrava a cada novo site com informações.

Ano passado (2009) eles estiveram novamente por aqui, e novamente eu não pude ir. Eu já estava, então, morando em Bauru, mas havia feito uma cirurgia, e estava de repouso. Novamente uma chance de ver a banda havia sido frustrada.


A-HA em Bauru


Se alguém me perguntasse no ano passado qual a possibilidade de a banda tocar aqui, em Bauru, eu diria que seria a mais remota possível. No máximo eles poderia tocar novamente em São Paulo, ou Rio de Janeiro, mas nunca que eu imaginaria um show aqui. Este ano, porém, o destino trabalhou a meu favor, e a favor de tantos outros fãs do A-HA.
Um sonho se tornou realidade, e a abertura da última turnê da banda iria começar aqui, em Bauru. Devo confessar que ainda não me caiu a ficha. Comprei o ingresso, e esperei anciosamente pelo dia.
Consegui mais do que eu esperava. No dia do show descobri que a banda estava hospedada em um hotel próximo à minha casa, e no horário do almoço fui pra lá. Consegui tirar foto com um dos integrantes, e pegar autógrafos.
O show foi espetacular! A sensação de estar lá diante de meus ídolos depois de tantos anos de espera... é indescritível!

Algumas pessoas chegaram a comparar um show do A-HA a um show de Vitor e Léo, como que querendo dizer que era apenas um show como qualquer outro. Sem desmerecer Vitor e Léo, ou qualquer outro artista/banda/grupo: A-HA é incomparável para seus fãs.

O show de Bauru, para mim, não foi apenas mais um show. Foi O SHOW. Esperei por ele durante anos e a sensação de sonho realizado vai ficar comigo, pra sempre.



A banda este ano encerra sua carreira. Deixo registrado aqui meu humilde agradecimento por todos estes momentos de pequenas mas intensas alegrias que me proporcionaram, mesmo que eles nunca venha a saber quem eu sou.

A-HA faz e sempre fará parte da minha história!

sábado, 6 de março de 2010

Aposta

Desenhos com Moscas Mortas

E quem disse que moscas mortas não podem ser engraçadas?




veja mais: http://funzu.com/index.php/crazy-pics/dead-flies-skill-06102009.html

As piores fotos de alguma coisa

(pior local de trabalho)

Encontrei, navegando por aí, um post com as piores fotos de alguma coisa, ou alguma situação. Vale a pena dar uma olhada (ps: em cima de cada foto tem a descrição do que se trata):

Melhor trabalho do mundo!

Tá, melhor mesmo é ser analista de sistemas (ahã, sei), mas este deve ser um dos melhores empregos do mundo... instrutor de Yoga:



de onde:
http://topcultured.com/best-job-in-the-world-yoga-instructor/

"Tombasso" no Gelo




Devo admitir que nestes jogos de inverno o que mais chamou minha atenção foi a patinação no gelo. 
Nunca tinha parado pra assistir essa modalidade, que de todas foi a que mais me prendeu na frente da TV.
Interessante também são as fotos do link abaixo, que mostram tombos no gelo:


10 Greatest Animal Photobombs Of All Time





veja mais:

terça-feira, 2 de março de 2010

segunda-feira, 1 de março de 2010